Acordo entre China e EU protege 100 produtos de indicação geográfica

fao-cha-colheita-quenia (Foto: FAO)

 

Após oito anos de negociações, a União Europeia e a China assinaram na última quarta-feira (6/11) o primeiro acordo bilateral. Com isso, 100 produtos com indicações geográficas (IG) de ambos os países serão protegidos. O acordo inédito deve entrar em vigor antes do final de 2020.

O rótulo IG fornece proteção legal para os produtos agroalimentares de terroirs, imitações e usurpações europeias, um assunto importante para a China, já que a lei chinesa tem muitas brechas neste quesito.

Dentre a centena de produtos europeus estão os vinhos, bebidas espirituosas e o queijo Roquefort, além de ameixas secas de Agen – produtos franceses – , e do uísque irlandês, cerveja de Munique, Ouzo, Porto e o queijo espanhol Manchego. Os produtos chineses protegidos incluem chás, arroz e frutas.

O acordo prevê ainda que, após quatro anos da sua entrada em vigor, o escopo precisa ser ampliado para 175 indicações geográficas adicionais de ambas as partes.

A China é o segundo destino das exportações agroalimentares da União Europeia, com um mercado de aproximadamente 13 bilhões de euros ao ano.

“Esta é uma conquista decisiva que abre uma dinâmica para permitir novos projetos “, disse o presidente francês, Emmanuel Macron, em Pequim. “Quanto mais conseguimos mostrar que a União Europeia sabe defender seus interesses estratégicos e que possui uma agenda ofensiva e defensiva coordenada, mais será vista de forma credível pela China”, declarou o chefe de Estado francês.