Acordo entre indústria e sindicatos põe fim à greve em portos da Argentina

infraestrutura-porto-rosario-argentina (Foto: Marcos Brindicci/File Photo/Reuters)

 

Após 20 dias de paralisação, indústria e sindicatos chegaram a um acordo para encerrar a greve de trabalhadores portuários e de esmagamento na Argentina. O anúncio foi feito na noite de terça-feira (29/12), após reunião que durou mais de nove horas no Ministério do Trabalho.

A Câmara da Indústria de Óleo da República Argentina (Ciara) publicou comunicado em seu site informando que o acordo consiste em um aumento salarial de 35% em 2020 e bônus anual igual ao salário já com o aumento de 35% incluso.

 

Também faz parte do combinado um bônus pandêmico excepcional de 90 mil pesos em nove prestações para quem trabalhou no Isolamento Social Preventivo e Compulsório, reajuste salarial de 25% para 2021 em duas partes e uma revisão salarial em agosto com aplicação do índice de preços ao consumidor no fim de 2021.

“Se privilegiou a paz social como objetivo empresarial, em virtude das consequências econômicas para a indústria, a comunidade, os mesmos trabalhadores e o país”, informa a nota da Ciara. “Além disso, a Argentina passou a ser um provedor pouco confiável a nível internacional.”

 

Somente um dos sindicatos, a União de Recebedores de Grãos e Anexos (Urgara), ainda esperava uma reunião com a Câmara de Portos Privados para negociar, segundo o jornal argentino La Nación.