Agro perdeu vagas formais em dezembro, mas encerrou 2020 com saldo positivo

agricultura_soja (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

 

A agropecuária brasileira encerrou o mês de dezembro de 2020 com saldo negativo de 22,970 mil empregos formais, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira (28/1) pelo Ministério da Economia. Foram 45,452 mil admissões e 68,422 demissões.

Os números consideram agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura. Entre os setores da economia que tiveram saldo negativo, o da agropecuária foi o menor no último mês do ano passado. A Indústria perdeu 40,192 mil vagas; a Construção, 43,092 mil; e o setor de Serviços teve resultado negativo de 23,749 mil. Já o Comércio teve saldo positivo de 62,599 mil empregos formais em dezembro.

Ainda de acordo com o Caged, o salário médio de admissão na agropecuária foi 0,98% menor em dezembro de 2020 em comparação com novembro do ano passado, ficando em R$ 1.470,06.

 

Apesar do resultado negativo em dezembro, a agropecuária encerrou 2020 com saldo positivo de vagas com carteira assinada. Segundo Caged, as contratações superaram as dispensas em 61,637 mil (840,870 mil contratados e 779,233 mil dispensados). O setor ficou atrás apenas da Construção, que terminou o ano passado com 112,174 mil admissões a mais que demissões.

A Indústria contabilizou a geração de 95,588 mil empregos formais e o Comércio gerou 8,130 mil. Já o setor de Serviços contabilizou saldo negativo no ano passado, com as demissões superando as admissões em 132,584 postos de trabalho.

No somatório de todos os setores analisados, a economia brasileira perdeu 67,906 empregos com carteira assinada em dezembro de 2020. No acumulado do ano, no entanto, houve a geração de 142,690 mil vagas formais.