Após negociações na COP26, países decidem manter grupo de trabalho sobre agricultura sustentável

Representantes de países reunidos em Glasgow, na semana passada, na COP26, decidiram manter ativo o Grupo de Trabalho Conjunto em Agricultura Koronivia, ligado às ações da Organização das Nações Unidos contra as Mudanças do Clima. A informação é do Ministério da Agricultura. De acordo com a pasta, o grupo tem por objetivo promover modelos de agricultura sustentável pelo mundo.

Árvores em sistema ILPF (Foto: Marcelo Min/Fotogarrafa/Ed. Globo)

 

Em comunicado, o Mapa considerou histórica a decisão de manter o grupo ativo. De acordo com o Ministério, a expectativa era de que o Koronivia encerraria suas atividades na COP26, mas a continuidade foi garantida, inclusive, com articulação brasileira.

“Após dias de negociações, houve consenso entre os diversos países membros em manter o grupo de Trabalho intitulado Koronivia, com o objetivo de promover os modelos de agricultura sustentável como solução para mitigar os impactos das mudanças climáticas no setor agrícola”, disse, em nota do Ministério, o diretor de Regularização Ambiental do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), João Adrien, que participou das negociações.

 

De acordo com a FAO, órgão das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o Grupo de Trabalho Conjunto em Agricultura Koronivia foi criado no âmbito da Convenção Quadro da ONU para Mudanças Climáticas (UNFCCC). O trabalho envolve seis linhas de ação: solo, uso de nutrientes, água, criação, métodos de acesso e a dimensão socioeconômica e de segurança alimentar das mudanças climáticas.