Como criar gloster

Gloster (Foto: Getty images)

 

Tigelinha, popular corte de cabelo circular adotado principalmente entre os garotos, também tem sua versão no mundo animal. Aliás, o estiloso modelo de madeixas, com franja no topo da cabeça, é o que distingue com mais evidência o corona do consort. Ambos são pequenos canários-belgas da espécie gloster, duas ótimas escolhas para uma criação de pássaros para ornamentação, canto e participação em concursos e exposições, além de estimação.

Desenvolvido na Inglaterra em meados da década de 1920, a partir da seleção de raças por criadores locais, o gloster é cobiçado principalmente pelo seu tamanho diminuto, que não passa de 11 centímetros de comprimento. Com pescoço curto, estatura compacta e de aspecto físico arredondado, assemelha-se a uma miniatura de ave com traços delicados. Apesar de parecer frágil, por ser miúdo, é resistente, ativo e apresenta boa adaptação para viver em gaiola, como a maioria dos canários.

Por ter comportamento amigável, o compartilhamento de viveiros do gloster com outras aves de bico reto é uma alternativa para a criação de diferentes espécies juntas em um mesmo aviário. No entanto, se a intenção for assegurar a qualidade do canto da ave, é melhor mantê-la sozinha, no caso do macho, que tem possibilidade de se tornar territorialista e, portanto, agressivo com os parceiros de abrigo.

 

Um cuidado importante é manter os pássaros em ambiente arejado, mas protegido do vento. Um cômodo ocioso na propriedade pode ser aproveitado, desde que tenha janelas amplas. A limpeza é outra medida exigida para o desenvolvimento saudável do plantel, que deve contar com água fresca nos bebedouros e alimento trocado diariamente nos comedouros. Folhosas produzidas em hortas no próprio local podem ser fornecidas como complemento das refeições.

Embora o corona com “cabeleira” graciosa chame mais a atenção na participação de eventos, o consort de cabeça comum também é igualmente importante para a propagação da espécie de canário-belga. De procriação fácil, o gloster favorece a realização de melhoramento genético por meio de cruzamentos, possibilitando a produção de exemplares com novas cores.

Verde e amarela são as duas colorações mais populares da ave, que, junto com a de tom castanho, representam as tonalidades de plumagens favoritas em apresentações do pássaro. Existe também gloster de penas brancas e azuis, além dos pintados, que são representados pela mescla de duas ou mais cores da ave.

Gloster (Foto: Getty images)

 

Gloster (Foto: Getty images)

 

INÍCIO Criadores do gloster, em especial profissionais que participam de campeonatos e exposições de canários, são fontes de informação para se obter mais conhecimento sobre a espécie. Também podem recomendar vendas de pássaros dotados de genética de qualidade, embora nem sempre exemplares premiados produzam bons filhotes. Saiba sobre a linhagem e observe se possuem estatura pequena e uniforme, boa formação da cabeça e do corpo, cauda curta, asas sem cruzamento das pontas nas costas e penas sem frisos. Devem se manter em posição altiva e ser ativos.

AMBIENTE Protegido de correntes de ar sempre é melhor para a criação de pequenos pássaros. Mas é preciso que tenha circulação de ar e que seja arejado. O local também não deve ser úmido nem frio.

GAIOLA Não pode ser muito pequena, apesar do tamanho da ave, pois o gloster gosta de espaços amplos. Uma recomendação para facilitar o manejo é o modelo argentino com dimensões mínimas. De madeira e arame galvanizado na posição vertical, é encontrado em lojas de produtos agropecuários. Assegure que tenha poleiros de tamanhos diferentes e, pelo menos, um no alto para o canário dormir. Mantenha-
a pendurada na parte superior de uma parede ou no teto e em local sem correntes de vento. Uma opção é utilizar viveiros coletivos feitos com materiais que possam existir na propriedade, como pedaços de ripas, pregos e telas de arame, a fim de baratear os custos.

 

CUIDADOS Principalmente com a limpeza da gaiola ou viveiro são essenciais para garantir a saúde da criação. Não deixe acumular dejetos no piso e troque a água do bebedouro diariamente. Apare as unhas da ave com frequência e disponibilize um recipiente com água para banhos ocasionais do gloster, hábito que a espécie possui.

ALIMENTAÇÃO Inclui sementes, como alpiste e painço. No varejo especializado, são vendidas rações específicas, misturas de sementes para canários e sementes revestidas de vitaminas. Exceto alface, forneça também folhosas, principalmente as mais escuras e amargas, como almeirão, catalônia e chicória (ou escarola), além de cálcio sob a forma de osso de siba. Prontas para o consumo, há nos pontos de venda pedras minerais para canários.

REPRODUÇÃO Concentra-se, em geral, de julho a dezembro, com postura de três a seis ovos, sendo um a cada dia. Recomenda-se que a mãe realize dois ciclos reprodutivos por ano. Para a formação do casal, aproxime lado a lado as gaiolas, permitindo que as aves se vejam. Coloque um pouco de palha, ou material semelhante, para a fêmea iniciar a construção do ninho, sinal que ela já pode receber em sua gaiola o macho para o acasalamento. Os filhotes nascem em 13 a 15 dias de gestação e deixam o ninho após cerca de um mês da eclosão. As fêmeas são férteis por quatro anos, enquanto os machos por cinco.

Gloster (Foto: Getty images)