Covid-19 intensificou digitalização de serviços para os produtores rurais

digital-tecnologia-aplicativo-celular-tablet (Foto: ThinkstockPhotos)

 

O Ministério da Agricultura transformou em digitais 50 serviços públicos desde março, quando se intensificou a pandemia de Covid-19. Considerado o período de janeiro a dezembro de 2020, são 81 serviços digitalizados.

“Alguns migraram para o digital e outros nasceram digital. A meta para 2021 é ter mais 77 serviços transformados em digitais”, disse, em nota, o coordenador do Escritório de Processos do Ministério, Glauber Pereira.

 

Segundo a secretaria-executiva da pasta, os serviços digitais beneficiaram mais de meio milhão de pessoas e empresas, com uma redução de custos para esse público estimada em R$ 43 milhões ao ano e para o poder público em R$ 117 milhões ao ano.

Entre os serviços agora digitais estão e-Sisbravet, ferramenta eletrônica para modernização da gestão da vigilância das doenças dos animais, o Sigep e o sistema de gerenciamento de estudos epidemiológicos.

 

Também foram digitalizados o serviço de habilitação de médicos veterinários da iniciativa privada para atuação no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal e o pedido de habilitação de laticínios e cooperativas de leite no Programa Mais Leite Saudável.

Em abril deste ano, foi disponibilizado o serviço para solicitação de transferência do benefício Garantia-Safra por ausência ou impedimento do titular.

 

Em julho, o ministério lançou o serviço automatizado para requerimento de defesa de beneficiários bloqueados no Garantia-Safra, destinado aos agricultores familiares que aderiram ao Programa Garantia-Safra e tiveram a concessão do benefício bloqueada por não atenderem os critérios exigidos para sua inscrição.

Foi disponibilizado, ainda, serviço digital para obtenção de crédito por meio do Terra Brasil – Programa Nacional de Crédito Fundiário, para agilizar o acesso ao crédito rural para aquisição de terras e infraestruturas básicas e produtivas.