Custos de produção já subiram 50,3% para suínos e 41,4% para aves neste ano

porco-suínos-aurora (Foto: Ernesto de Souza/Ed.Globo)

 

Os custos mensais de produção de suínos e de frangos de corte calculados pela Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa (CIAS) subiram pelo quinto mês consecutivo.

Em novembro, o ICPSuíno chegou aos 387,07 pontos, alta de 9,67% em relação a outubro e novo recorde nominal. Já o ICPFrango fechou novembro nos 345,57 pontos, um aumento de 5,11% em comparação a outubro e maior valor nominal já registrado.

 

A alta do ICPSuíno foi puxada, novamente, pelos gastos com a nutrição dos animais, que aumentaram 9,44% em outubro e 45,23% em 2020. No ano, o custo geral de produção de suínos já subiu 50,35% e, nos últimos 12 meses, 53,61%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina aumentou mais R$ 0,60 nos últimos 30 dias, passando dos R$ 6,17 em outubro para R$ 6,77 em novembro.

 

Já o ICPFrango acumula agora 41,44% de alta em 2020 – e 41,43% nos últimos 12 meses. A nutrição das aves (3,64%) foi o item que mais subiu no mês passado. Com isso, o custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná passou dos R$ 4,25 em outubro para R$ 4,47 em novembro.

Santa Catarina e Paraná são usados como referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.