Indústria quer retomar volume de vendas após Filipinas tirar veto ao frango por Covid-19

aves-frangos-corte-carne-galinha (Foto: Fabisno Accorsi/Ed. Globo)

 

Quatro meses após anunciar embargo à compra de carne de frango do Brasil após um caso de contaminação por Covid-19 em um produto vendido pelo país à China, as Filipinas revogaram totalmente a suspensão às importações.

Em setembro, segundo a agência Bloomberg, o país já havia retirado a proibição às compras, mas fez exigências adicionais para garantir o controle do vírus. 

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) comemorou a decisão e disse esperar que o nível das vendas para os asiáticos retome patamares equivalentes ao registrado antes da suspensão.

 

O mercado filipino era um dos principais destinos do produto brasileiro na Ásia. No ranking geral, estava entre os 12 principais importadores, para onde foram enviadas cerca de 2% do total exportado pelo Brasil no primeiro semestre deste ano (43,8 mil toneladas).

Ricardo Santin, presidente da ABPA, elogiou a atuação do governo para resolver o impasse e destacou que o Brasil prestou todos os esclarecimentos necessários às Fipilinas.

“Demonstramos a confiabilidade do produto e que barreiras sem fundamento técnico científico, sem qualquer esclarecimento e demonstrações, não são bases para um embargo. A reabertura demonstra a confiança do mercado filipino na qualidade e no status sanitário na avicultura do Brasil”, afirma.