Jair Bolsonaro firma acordos em Catar e Emirados Árabes

bolsonaro-catar (Foto: Valdenio Vieira/Presidência da República)

 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, segue sua agenda de compromissos no Oriente Médio. Depois de visitar os Emirados Árabes, ele chegou ao Catar, recepcionado em Doha, pelo emir Xeique Tamin Bin Hamad Al Thani, no Palácio Real. Sua passagem pelo país já resultou em acordos assinados nas áreas da saúde, serviços aéreos e defesa, incluindo apoio logístico.

O embaixador do Brasil no Catar, Roberto Abdalla, disse, de acordo com o divulgado pelo Palácio do Planalto, que a visita de Bolsonaro ao país estava sendo aguardada, devido aos acordos a serem firmados. “[Os acordos] vão elevar a um novo patamar o relacionamento bilateral, que nada mais faz jus à grandeza do nosso país e à excelência das relações do Brasil com o Catar”, ressaltou.

De acordo com o Ministério da Economia, entre os produtos que o Brasil mais exporta ao Catar estão carne de frango congelada, fresca ou resfriada. O produto abrangeu 25% das vendas nacionais ao país árabe apenas de janeiro a setembro deste ano, totalizando mais de US$ 84 milhões. O Brasil compra do Catar, principalmente ureia, utilizada na fabricação de fertilizantes para agricultura, gás natural e óleos lubrificantes.

Emirados Árabes


Nos Emirados Árabes Unidos, o presidente Jair Bolsonaro firmou oito acordos bilaterais com o país do Oriente Médio em várias áreas como segurança, economia, inteligência artificial, defesa e meio ambiente. “O fato de estarmos reconquistando a confiança do mundo todo faz com que cada vez mais países queiram firmar negócios com o Brasil”, disse o presidente, em entrevista à Agência de Notícias dos Emirados Árabes.

Os dois países estabeleceram diretrizes para a parceria no desenvolvimento, produção e comercialização de produtos de defesa, além de outros setores, como comércio, indústria, infraestrutura e agricultura.

Na área aduaneira, Brasil e Catar querem trabalhar em conjunto  na prevenção, combate e investigação de infrações aduaneiras, bem como na troca de informações sobre valoração aduaneira, regras de origem e classificação tarifária.

 

Um dos acordos contempla os órgãos de meio ambiente, que devem cooperar nas áreas de conservação ambiental e desenvolvimento de iniciativas em ecoturismo e gestão de zonas úmidas. Depois de passar por Japão, China, Emirados Árabes e Catar, o presidente Jair Bolsonaro seguirá para Arábia Saudita, onde estão previstos compromissos até a quarta-feira (30/10).