Mercado doméstico de carne suína está mais aquecido, diz Cepea

As vendas de carne suína no mercado doméstico estão mais aquecidas nesta segunda quinzena do mês, depois de terem iniciado novembro fracas. É o que aponta o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), em relatório. “Diante dessa melhora nas vendas finais, os preços do animal vivo e da carne estão em alta em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea.” De acordo com o Cepea, o preço pago pelo animal subiu 9,1% na semana de 10 a 17 de novembro na região de SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba). Agora o quilo é negociado a R$ 7,06.

suínos (Foto: REUTERS/Jordan Gale)

 

O mercado independente de suínos vivos teve um aquecimento causado pelo aumento no consumo da proteína em São Paulo e Minas Gerais, onde a produção local é insuficiente para atender à demanda.

 

Já no atacado da Grande São Paulo, a carcaça suína era vendida ontem a R$ 10,20 o quilo, 7,1% a mais do que no dia 10 de novembro. “No mercado de cortes, os repasses foram menores, já que o fragilizado poder de compra da população e a competitividade frente às carnes substitutas limitaram os reajustes positivos na ponta final”, comentou o Cepea. Na média paulista, a costela se valorizou 5% no mesmo período, negociada a R$ 15,20 o quilo na quarta-feira.