Número de produtores de alimentos orgânicos cresce 10% no Brasil

O Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos cresceu quase 10% desde o ano passado, apontam dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Até maio, o Brasil contabilizava mais de 25,4 mil produtores de alimentos sem aditivos químicos.

A expansão, mesmo em meio à pandemia de Covid-19, tem estimulado os micro e pequenos negócios do setor. A estimativa é de que o crescimento médio deste mercado fique entre 20% e 30% em 2021, projeta o Sebrae.

Internet e ambiente virtual impulsionam vendas de orgânicos a consumidores de São Paulo na quarentena (Foto: Getty Images)

 

Com o aumento da alimentação em casa e a busca por produtos orgânicos, o setor foi impactado positivamente pela pandemia.

“A Covid-19 fez com que as pessoas valorizassem mais o consumo e produção de alimentos caseiros, orgânicos, produzidos por pequenos negócios. As pessoas buscam praticidade e segurança. Por isso, o consumidor está comprando mais pelo e-commerce, entregas em domicílio e pegue-e-leve. Dados mostram que o mercado digital cresceu 40% nos primeiros 12 meses de pandemia, sendo que o setor de comidas e bebidas chegou a 57%”, afirma o analista de competitividade do Sebrae, Luiz Rebelatto.

 

De acordo com o Rebelatto, os produtores de orgânicos também estão cada vez mais se movimentando no universo on-line.

“É importante vender na feira, da mesma forma que é essencial possuir a presença digital. As vendas podem ser feitas pelas redes sociais, por plataformas de delivery, por sites próprios, marketplaces e até por serviços de assinatura. São muitas opções, o importante nesse momento é ter essa visão híbrida da forma de vender”, destaca.

Leia mais notícias sobre Hortifrúti