Peixe de área atingida por óleo é próprio para consumo, diz Mapa

Peixe morto no Ceará (Foto: Ascom/Nossa Senhora do Socorro)

 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou na segunda-feira (11/11), em nota oficial, que pescado do litoral nordestino, atingido por manchas de óleo, não representa riscos para o consumo humano. A conclusão foi feita a partir de análise realizada pelo Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais da PUC/RJ, por solicitação da pasta.

Segundo a nota, no último sábado (9/11), o Mapa recebeu os 12 primeiros resultados das amostras de peixes e lagostas, coletados entre 29 e 30 de outubro, em estabelecimento certificados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) na Bahia, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

 

O laboratório analisou 37 compostos de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA), indicadores que atestam a contaminação por derivados de petróleo. Constatou que a presença dessas substâncias no pescado era de baixo nível, não representando riscos para a saúde da população.

“As amostras para monitoramento da situação de segurança do consumo de pescado continuam sendo colhidas e, conforme a liberação dos resultados das análises, serão divulgados pelo Mapa, com atualizações das recomendações”, atesta a pasta em nota.