Quem vai suprir a demanda chinesa por carne suína

criacao_suino_ (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

 

Nesta sexta-feira, 4, durante o XIX Seminário de Planejamento Estratégico Empresarial, o Diretor de Relações Institucionais da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ariel Antônio Mendes, destacou o momento favorável para exportação de carne suína em meio à epidemia da peste suína africana, que se espalha pelos países da Ásia.

“A questão da peste suína africana é extremamente preocupante com vários surtos na Ásia, principalmente na China e no Vietnã, e alguns surtos na Europa, principalmente em países do Leste Europeu. Isso abre uma grande oportunidade de negócio para o Brasil, principalmente de exportação de carne suína para a China, uma vez que a China é o maior produtor de carne suína, produzindo 54 toneladas de carne por ano e com a doença ele terão uma perda de 16 milhões de toneladas.

 

Isso vai ser suprido por quem? Pelo Brasil, pela Europa que também exporta, pelos EUA e Canadá. Mas aí, de uma maneira muito favorável para o Brasil, porque nós temos plantas habilitadas para a China e agora o Ministério da Agricultura está em um ano de concessão muito forte com a China para aumentar o número de plantas habilitadas até o final do ano”.