“Tivemos alguns avanços”, diz ministra sobre a China

ministra-china-video-twitter (Foto: Reprodução/Twitter)

 

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse, nesta quinta-feira (24/10), que as conversas com a China estão avançando e demonstrou otimismo para a abertura de mercado para frutas e mais habilitações de frigoríficos para exportar carne ao país. Ela está em Pequim desde o início da semana, onde discute com autoridades chinesas a ampliação das exportações de produtos do agronegócio brasileiro.

“Tivemos alguns avanços. Muitas coisas caminhando com muita celeridade”, disse a ministra, em mensagem de vídeo divulgada pelas redes sociais. “O que nos foi dito com muita propriedade é que eles têm a necessidade porque estão colocando no mercado de consumo mais 300 milhões de pessoas. É outro Brasil que precisa ser alimentado dentro da China”, afirmou.

Segundo ela, está iminente a abertura da China para as exportações de melão do Brasil. A contrapartida seria a liberação do mercado brasileiro para a pera chinesa. Tereza Cristina também dá como certa a habilitação de mais frigoríficos para exportar para o país asiático. Atualmente, são 89 plantas autorizadas.

A China tem sido o principal foco de uma epidemia de peste suína africana (PSA) que, de acordo com dados da FAO, órgão das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, já dizimou mais de 6 milhões de suínos só no continente asiático. Para especialistas, o desequilíbrio de oferta e demanda no país provocado pela doença não deve atingir apenas a carne suína, mas também outras proteínas, como frango e a bovina.

 

O otimismo de Tereza Cristina em relação a esse setor vai ao encontro das expectativas da própria indústria brasileira de carnes, que vê a possibilidade de avançar no mercado chinês. Segundo a ministra, o anúncio de novas plantas autorizadas tende a ocorrer entre esta visita do presidente Jair Bolsonaro à China e a próxima visita do presidente chinês Xi Jinping ao Brasil, que deve ocorrer agora, em novembro.

“O mercado de carnes está em ebulição aqui. A necessidade é muito grande. Então, aqueles frigoríficos que estão preparados, dentro dos protocolos para exportar para a China, todos terão oportunidade, dado o tamanho, a necessidade e a vontade de importar carne do Brasil”, disse ela.

É a segunda viagem da ministra à China neste ano, com o objetivo de dar continuidade às conversas iniciadas na ida anterior ao país, em maio, e de preparar a visita de estado do presidente Jair Bolsonaro, que desembarcou na capital chinesa nesta quinta-feira (24/10) Ao longo da semana, Tereza Cristina se reuniu com autoridades e empresários chineses.

Durante a semana, o Ministério da Agricultiua anunciou o interesse dos chineses de investirem em pelo menos quatro usinas de açúcar no Brasil. Na mensagem desta quinta-feira, a ministra reforçou esse interesse e acrescentou que o etanol também entrou na pauta de negociações do Brasil e da China. Tereza Cristina informou ainda que estão em andamento os protocolos para exportações de produtos vegetais, como farelo de soja. 

“Discutimos o interesse deles em açúcar, algodão e até etanol entrou de maneira muito inicial ainda, muito pontual, mas vamos caminhar também em uma discussão sobre este assunto”, disse. “Temos que aproveitar as oportunidades e dar o que eles querem: volume, alimentos de qualidade e preços que possam estar ajustados ao mercado chinês”, acrescentou.