Venda antecipada reduz risco do coronavírus sobre o mercado de soja

colheita-fendt--colheitadeira-maquinas-soja (Foto: Divulgação)

 

Mais de 60% da soja que estão sendo colhida nas lavouras brasileiras já foi vendida de forma antecipada, principalmente para o continente asiático. Na avaliação da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), esta situação traz algum fôlego ao produtor diante dos riscos relacionados à epidemia de coronavírus, iniciada na China e que já atinge outros países em várias partes do mundo.

 

“A expectativa é de que nós não vamos ser afetados. Se for, é muito pouco. Neste momento, o produtor pode trabalhar tranquilo, buscar as melhores oportunidades porque o mercado de alimentos, principalmente o mercado de soja, está em crescimento”, afirma o presidente da entidade, Bartolomeu Braz Pereira, em mensagem de vídeo divulgado pelas redes sociais (assista abaixo).

 

O Brasil deve colher neste ano a maior safra de soja do mundo. Estimativas oficiais do governo brasileiro e também de consultorias privadas apontam uma colheita superior a 120 milhões de toneladas. Os Estados Unidos, que sofreram com problemas climáticos nesta safra, produziram menos de 100 milhões de toneladas, de acordo com as estimativas do governo do país.