Destaques do dia: o que foi notícia nesta quarta-feira (15/12)

Destaques do Dia (Foto: Estúdio de Criação)

 

Confira os destaques desta quarta-feira (15/12)

Carne bovina para a China
empresas-frigorifico-carne-bovina (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

 

A Administração Geral de Alfândegas da China (Gacc, na sigla em inglês) anunciou que permitirá que as importações de produtos de carne bovina desossada com menos de 30 meses do Brasil sejam retomadas nesta quarta-feira (15/12). No início de setembro, o Brasil suspendeu voluntariamente os embarques aos chineses, por causa de dois casos atípicos do “mal da vaca louca”. Os casos foram identificados em frigoríficos de Nova Canaã do Norte (MT) e de Belo Horizonte (MG) em 4 de setembro.

Exportação x mercado interno
Açougue em Pequim, na China; importações de carne do país atingiram recorde em 2020 (Foto: Tingshu Wang/Reuters)

 

Maurício Palma Nogueira, sócio e diretor da Athenagro, consultoria especializada em pecuária, diz que o retorno das exportações de carne bovina brasileira para a China, determinado nesta quarta (15/12) pelas autoridades chinesas após quase 4 meses de suspensão, não vai reduzir a oferta de carne no mercado interno. Ele fez a declaração na apresentação dos resultados do 10º Rally da Pecuária 2021, expedição privada pelas principais áreas de produção que neste ano ocorreu de forma digital.

Carne suína
carne suina abpa (Foto: ABPA/Divulgação)

 

A China aumentará as tarifas de importação sobre a maioria dos produtos de carne suína no próximo ano, disse o Ministério das Finanças nesta quarta-feira, depois que o maior produtor mundial rapidamente expandiu a produção doméstica e reduziu suas necessidades de importação. As tarifas para as nações mais favorecidas voltarão a 12% em 1º de janeiro, ante 8% atualmente, de acordo com um comunicado do ministério.

O anúncio, nesta quarta-feira (15/12), não foi visto com preocupação por Ricardo Santin, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Ele conversou com o editor-chefe da revista Globo Rural, Cassiano Ribeiro, e com o editor de Agronegócios do jornal Valor Econômico, Fernando Lopes, na terceira live do especial Semana do Agro.

Alta dos insumos
Produtores enfrentam problemas com o atraso nas entregas de fertilizantes e herbicidas (Foto: Reprodução/Getty Images)

 

A Associação de Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) protocolou nesta quarta-feira um pedido ao governo federal para que tome providências sobre a alta de preços de defensivos e o cancelamento de pedidos. Segundo comunicado da entidade, o documento foi enviado ao Ministério da Agricultura e à Procuradoria-Geral da República. “A reivindicação da Aprosoja-MT, que representa mais de 7.500 produtores rurais… trata de um pedido de providência na apuração de crime contra o consumidor nos pedidos de insumos”, disse em nota o coordenador de política agrícola da entidade, Tiago Stefanello.

Soja e desmatamento
agricultura_soja (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

 

Levantamento concluído recentemente pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) mostra que a taxa de desmatamento no Cerrado associado à expansão do plantio de soja vem diminuindo gradualmente nos últimos 20 anos e hoje é a mais baixa do período. Conforme análise geoespacial do bioma, no período de 2001-2007 13% da expansão do cultivo ocorreu sobre vegetação nativa e o restante em áreas abertas antes de 2001.

Chuna na Bahia e em Minas Gerais
Danos à população rural inclui morte de animais e perda de lavouras após chuvas no sul da Bahia e nordeste de Minas Gerais (Foto: Isac Nóbrega/Agência Brasil)

 

O rastro de morte e destruição deixado pelas fortes chuvas que atingem o sul da Bahia e o nordeste de Minas Gerais também atingiu a produção agropecuária das duas regiões. Com forte presença de agricultores familiares dedicados à produção de leite, mandioca, frutas, cana-de-açúcar e milho, muitas fazendas ainda encontram-se isoladas devido à destruição de pontes e estradas vicinais que ligam as comunidades rurais às cidades. O envio de produtos básicos está dependendo de helicópteros.

Navegação de cabotagem
BR do Mar (Foto: epl.gov.br)

 

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 15, o texto-base da proposta do governo de incentivo à navegação na costa brasileira, chamado de BR do Mar. Agora, os deputados irão analisar as sugestões de mudança ao texto (destaques). Apresentado ao Congresso pelo Ministério da Infraestrutura em agosto de 2020, o BR do Mar tem como um dos pilares a flexibilização do afretamento de embarcações estrangeiras para serem usadas na cabotagem. Com isso, pretende flexibilizar essas regras para aumentar a oferta de navios e, portanto, a concorrência, baixando os custos desse tipo de navegação.

Caminhões a gás
Caminhões a gás da Scania (Foto: Scania/Divulgação)

 

A fabricante de caminhões Scania está trabalhando no aumento da potência dos motores de seus modelos movidos a gás natural e biometano para atender a demanda de transporte de grãos, em que são usados veículos de até nove eixos. A afirmação foi feita pelo diretor comercial da empresa no Brasil, Silvio Munhoz, durante o Fórum Caminhos da Safra, realizado pela Globo Rural e transmitido via internet.

Ferrovias no Paraná
ferrovia (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

 

A movimentação de cargas transportadas por ferrovia representou 20% do total no Paraná este ano até novembro. Das 53.054.946 movimentadas de janeiro a novembro, 10.669.705 toneladas foram pelo modal. Do restante, 40.927.435 toneladas de cargas foram transportadas em caminhões (77,1%) e 1.457.806 toneladas de líquidos (2,7%), pelos oleodutos. “Estamos caminhando para um maior equilíbrio nas matrizes de transporte nos Portos do Paraná”, disse em nota o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Energia
Linhas de transmissão de energia (Foto: REUTERS/Rafael Marchante)

 

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) não vê nenhuma possibilidade de apagão ou racionamento por questões hídricas em 2022, uma vez que o nível de hidrelétricas está em processo de recuperação com chuvas mais regulares e medidas do governo para preservar água nos reservatórios, disse nesta quarta-feira (15/12) o diretor-geral do órgão.