Parte das perdas na soja do Sul é compensada por outros Estados, diz Refinitiv

A safra brasileira de soja 21/22 deve alcançar 141,5 milhões de toneladas, estimou nesta quarta-feira (05/01) a Refinitiv, com um recuo de 2% ante a projeção anterior, mas mantendo a expectativa de recorde para a produção, com o desempenho dos demais Estados compensando parte das perdas pela seca na região Sul.

Leia também: Exportação de soja do Brasil deve dar salto em janeiro, indica Anec

Grãos de soja em Primavera do Leste (MT). (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

 

Segundo o levantamento, uma parte importante do Brasil viu condições climáticas mais favoráveis ​​nas duas últimas semanas de dezembro, que ajudaram a repor reservas de umidade do solo em importantes produtores, como Mato Grosso.

“Grandes áreas produtoras no Centro-Oeste (por exemplo, Mato Grosso e Goiás) e no Nordeste (por exemplo, Bahia e Piauí) receberam de 50 a 150 milímetros de chuva acima da média”, afirmou analista da Refinitiv Dong Soon Choi.

Por outro lado, a seca e o calor persistentes observados no início da temporada continuaram em muitas partes das regiões de produção do Sul, principalmente no Paraná, Rio Grande do Sul, e no Sudeste, como São Paulo.

“Os níveis de umidade do solo nessas regiões permanecem em patamar abaixo da média de cinco anos, apesar das recentes chuvas esparsas benéficas, especialmente perto do Sudeste.”

 

A Refinitiv disse que esta é uma preocupação para o desenvolvimento contínuo da safra de soja, que está entrando em seu período de crescimento principal, pois combinadas as regiões com perdas podem responder por até 30% da produção total de soja do Brasil.

As temperaturas nessas regiões de cultivo do Sul também têm estado consistentemente acima do normal e devem ficar acima da média pelo menos até a próxima semana, aumentando as preocupações, projetou o analista.

Nesta quarta-feira, a federação das cooperativas do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS) estimou perdas de 24% para a safra gaúcha de soja, em função da estiagem.

Na virada do ano, o Departamento de Economia Rural (Deral) realizou um levantamento emergencial de perdas pela seca, apontando uma redução de mais de 5 milhões de toneladas na projeção de safra de soja do Paraná, para 13,1 milhões de toneladas.

Em uma perspectiva mais pessimista, a consultoria StoneX deixou nesta semana de estimar recorde para a safra brasileira da oleaginosa, devido às perdas na região Sul.

Leia mais sobre Soja